Este website usa cookies para melhorar a navegação dos nossos utilizadores. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Fechar ou Saber Mais
Temos 82 visitantes online, total de visitas: 594.720

Gastronomia

             

O balanço das ondas e o cheiro a maresia fazem abrir o apetite. O mar é uma fonte de riqueza bem aproveitada pela gastronomia algarvia. Não falta imaginação para confeccionar os mais variados pratos de peixe, moluscos e mariscos.
Começando pelos petiscos. Amêijoas à «bulhão pato», pratinhos de perceves, lascas de ovas secas (de pescada, polvo ou atum), nacos de polvo, de moreia ou de lula secos ao sol ou o biqueirão envinagrado são alguns dos deliciosos petiscos típicos, que poderá encontrar na Restauração local.

                                               

A sardinha assada é rainha em qualquer restaurante algarvio e lacobrigense. A tradição manda comê-la em cima de uma fatia de pão, na qual ela vai deixando a sua gordura... uma delícia dizem os entendidos e comprovam-no os que já experimentaram. Outro prato típico é o de carapaus alimados.

         

Às lulas enche-se-lhes os sacos com ricos recheios de presunto e linguiça.
O arroz muda de paladar consoante é de berbigão, de polvo ou de lingueirão.
O xarém ou as papas de milho, em tempos eram a base de uma alimentação humilde, hoje são um prato muito apreciado.
Nas carnes, o cozido de grão; o cozido de milhos; a carne de porco com amêijoas e as favas à algarvia são alguns exemplos.

Falando de Doces...

                                                         

Poética e lendária, a amendoeira é protagonista na confeitaria algarvia. Os bolinhos feitos de massa de amêndoa com recheio de ovos moles ou fios de ovos são a base da imaginação para as mais variadas fantasias. São ternurinhas moldadas por sábias mãos. Um regalo para os olhos e um mimo de sabor.

              

Os Dom Rodrigos são, igualmente, uma delícia feita de amêndoa, protegida por um invólucro de prata colorida. Também o famoso Morgado não dispensa a amêndoa.
O figo depois de seco permite uma variedade de utilizações. Inteiro ou esmagado não há quem os recuse – bolo doce de figo, recheados com amêndoa, chocolate e erva-doce ou torrados no forno são uma delícia.