Este website usa cookies para melhorar a navegação dos nossos utilizadores. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Fechar ou Saber Mais
Temos 68 visitantes online, total de visitas: 659.146

Historia

Santa Maria abrangia uma área de 9.32 km 2 e possuía a maior parte do território denominado de Centro Histórico (núcleo primitivo) da Cidade de Lagos.
Santa Maria, foi no passado, como afirma José António de Jesus Martins em "Estudo Histórico – Monográfico – A Freguesia de Santa Maria", uma freguesia que, a nível económico, vivia do setor primário, com primordial importância para a indústria do pescado. Entretanto, todas as transformações que se operaram, quer na conjuntura nacional, quer na internacional, bem como a sua localização geográfica contribuíram, em larga escala, para o seu desenvolvimento económico. O setor terciário destaca-se em relação aos restantes, tendo o comércio e serviços um papel de relevo na economia local, em especial destaque para a hotelaria, a restauração e bebidas. Existem, contudo, algumas pequenas empresas ligadas a áreas como a doçaria tradicional, que também desempenham um papel importante, tanto a nível económico, como a nível de projeção da imagem da Freguesia.
A Freguesia de Lagos Santa Maria tem as suas fundações quando da reconquista da antiga Lagos (Al – Zauaija do período Árabe), pelos cristãos de 1249-50. Reinando D. Afonso III, a Lagos cristã vai crescendo em poderio económico e político e a partir do século XIV é fundada a Igreja de Santa Maria da Graça, aquela que deu origem à titularidade da Freguesia, embora a sua Matriz tivesse como primitiva invocação, Nossa Senhora da Encarnação. Isto é, a atual Igreja de Santa Maria era da Misericórdia e devido à destruição da Igreja de Santa Maria da Graça, pelo Terramoto de 1755, o culto ministrado nessa igreja passou para a igreja da Misericórdia com a invocação de Santa Maria.
Sendo a mais antiga freguesia urbana de Lagos, na mesma podemos salientar que intramuros se desenvolveram os mecanismos do seu desenvolvimento e foi palco de entrada de Reis e Rainhas que passavam para o Algarve e para a Conquista de Ceuta, Tânger, Alcacer-Ceguer e Alcacer-Quibir.
Local de nascimento de ilustres figuras do Algarve e de Portugal (ex. São Gonçalo de Lagos (padroeiro da cidade), Gil Eanes (navegador); Júlio Dantas (diplomata), etc.), ainda encontramos no tempo atual muitos vestígios dos séculos XVI a XVIII e todos constituem locais de visita obrigatórios para quem pretende conhecer o seu Passado associado aos Descobrimentos Portugueses.