Este website usa cookies para melhorar a navegação dos nossos utilizadores. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Fechar ou Saber Mais
Temos 10 visitantes online, total de visitas: 594.643

Natural

PRAIA DA BATATA

                     


A praia situa-se entre a Praia dos Estudantes e o molhe poente da Ribeira de Bensafrim, a escassos metros do centro histórico de Lagos, possuindo já carateristicas urbanas: grande parte da arriba para trás do areal encontra-se empedrada, com o topo ocupado por uma solarenga praça calcetada, percorrida por um pequeno passeio pedonal. Diversos equipamentos de lazer encontram-se à disposição dos veraneantes. Para além do molhe surge um diminuto areal chamado de Solaria e a Fortaleza da Ponta da Bandeira, mesmo à entrada da barra.
O areal exibe muitas reentrâncias e recantos abrigados, como é próprio do desenho deste troço de costa, muito trabalhado pelos elementos. É uma praia bastante frequentada, surgindo na continuação da grande marginal de Lagos que acompanha o percurso entre o mar e a marina dos veleiros e dos pequenos barcos que oferecem passeios pela já baptizada Costa d’ Ouro, designação que advém dos tons dourados das arribas deste troço de costa.

MEIA-PRAIA

                    


Esta praia, que segue ao longo da curvatura da baía, numa extensão com mais de quatro quilómetros, até ao Rio de Alvor, está separada do terreno de suave declive que a envolve como um anfiteatro, por um cordão dunar de destacada beleza. A qualidade da fina areia doirada só tem paralelo nas transparentes águas que banham este magnífico trecho da costa. Ali se podem apanhar condelipas (conquilhas no resto do país) na maré baixa enquanto as crianças brincam nas bacias temporárias modeladas pelo mar junto à linha de água. Dali se podem admirar os veleiros grandes e pequenos navegando para lá e para cá, animando a baía com as suas velas brancas recortadas nos azuis do céu e do mar. Conta com apoios de praia e vigilância.
Praia de S. Roque – Designando frequentemente a Meia Praia, esta praia de S.Roque é, em rigor, hoje, inexistente. Correspondia a uma faixa de areal separada da Meia Praia por um braço do rio – a Barra de Dona Joana, segundo a tradição oral – e da cidade, pelo curso principal da ribeira de Bensafrim. Recebeu esse topónimo em resultado da ermida ali fundada, em finais do séc. XV, por milaneses e sicilianos que exploravam a pesca do atum. Edificada perto do arraial das armações, a ermida firmava-se nessa faixa de areal. As alterações do delta da ribeira de Bensafrim, quer devido à hidrodinâmica e dinâmica sedimentar da orla costeira, quer por acção do terramoto de 1755 que, sabemos, destruiu a referida ermida de S. Roque, acabariam por encerrar o braço da ribeira provocando a integração desse espaço na Meia Praia.
 


PRAIA PORTO-DE-MÓS

                       


A praia de Porto de Mós é um extenso areal localizado entre falésias.

PRAIA DONA ANA

                      

Dona Ana é uma praia de referência, em Lagos, Algarve, Portugal. Fica na zona conhecida por Costa D' Oiro, nome derivado da cor amarela/oiro das rochas que envolvem esta praia que é maior de entre as várias praias de beleza única, protegidas do vento e de águas calmas e límpidas, localizadas desde o porto da cidade até ao farol da Ponta da Piedade.
Em setembro de 2013, a praia Dona Ana foi considerada pela revista espanhola Condé Nast Traveller a melhor praia do mundo e “a mais bonita de Portugal”, onde se considera que brilha pela “cor turquesa das suas águas que sobressai entre as escarpas naturais.

 

PRAIA DO CAMILO

                       

É uma pequena praia entre falésias, com interessantes formações rochosas. As suas águas são límpidas e calmas. O acesso à praia é feito por uma longa escadaria.

 

PRAIA DO PINHÃO

                        


Esta praia pode ser alcançada através dum trilho pedonal que parte da Praia D. Ana e que percorre o topo da arriba. O areal é pequeno e encaixado entre arribas altas, talhadas em rochas carbonatadas de cores quentes e intensas. Um enorme arco natural surge a nascente da praia, do outro lado foi construído um miradouro com uma escadaria que desce até mar, permitindo mergulhar na água salgada sem passar pela areia. Uma extensa área rochosa imersa convida a apetecíveis passeios subaquáticos. Apesar de pequena e de se encontrar já muito perto da malha urbana da cidade de Lagos, a praia é relativamente tranquila.

 

PRAIA DOS ESTUDANTES

                        


A Praia dos Estudantes, ao lado da Praia da Batata, compreendendo um pequeno areal, abrigado por formações rochosas que a abrigam de ventos fortes e correntes perigosas.
Nestas arribas foram escavados à mão túneis, um de acesso a uma pequena praia e outro ligando à Praia da Batata.
O acesso à Praia faz-se através de uma pequena escadaria, albergando este areal frequentemente famílias e jovens, dado a facilidade de acesso e a proximidade da turística cidade de Lagos.


PRAIA DA PONTA DA PIEDADE

                     

Perto do Farol quase centenário, uma longa escadaria leva até ao mar, onde alguns mareantes recebem nos seus barcos passageiros que desejam conhecer as furnas e as esculturas talhadas pelo mar na massa rochosa do miocénico: “ a balança”, “a cozinha”, “o gigante” ou “o sapato”, são exemplos do incessante trabalho do mar interpretado pela imaginação das gentes locais.

PRAIA DOS PINHEIROS, PRAIA GRANDE, BARRANCO DO MARTINHO E CANAVIAL

                         

Estas são mais algumas das pequenas praias existentes, também de indiscutível beleza, mas de difícil acesso e ausência de apoios de praia ou vigilância.


CAIS ANTIGO

                           

Entre o Castelo dos Governadores e a antiga Casa da Dízima existiam duas portas que, articuladas com a muralha quinhentista e funcionando como antecâmara da cidade, permitiam a circulação entre muros e o acesso ao Cais da Ribeira. A área onde em épocas distintas terão existido diferentes cais, e que foi soterrada na década de 40 do século XX para a construção da Avenida da Guiné, encontra-se hoje visível e integrada na requalificação da frente Ribeirinha, no âmbito do programa POLIS.

SÍTIO ARQUEOLÓGICO DO MOLIÃO

                          

Povoado fortificado localizado sobre uma colina destacada, dominando o estuário da Ribeira de Bensafrim. As estruturas escavadas no Monte Molião atestam a sua ocupação desde a 2.ª Idade do Ferro (de finais do séc. IV a. C. a finais do Séc. III a. C.) até à época romana imperial. Esta ocupação tem sido frequentemente identificada com Lacobriga, importante povoação mencionada pelos geógrafos da Antiguidade e cujo cerco constitui um destacado episódio das Guerras de Sertório. O sítio parece ter sido progressivamente abandonado em favor de uma outra povoação, situada na margem oposta da ribeira, no local da actual cidade de Lagos, que à povoação antiga deve o nome.
 

PARQUE DA CIDADE – ANEL VERDE

                                           
Parque urbano, adjacente ao pano de muralhas da Praça de Armas, disponibiliza zona verde de lazer e parque lúdico para as crianças. A flora regional está representada pelas amendoeiras que, na Primavera, florescem emprestando ao local o toque de magia da “neve algarvia”.